terça-feira, 12 de fevereiro de 2008


O PESO JÁ SE FOI ...

As marcas na vida de Duda deixaram muitas magoas e feridas que incrivelmente está cicatrizando de uma forma bela e emocionante onde ela se permitindo ser a Maria Eduarda que sempre existiu escondida dentro de um cofre, fechado a sete chaves e enterrado a sete palmos embaixo da terra.

Tudo porque, quando ela era uma moça pura e ingênua, tinha uns sonhos belos e cheio de significado e certo ser (não digo humano, vocês saberão por que) pegou estas preciosidades que Duda trazia consigo e amassou como se fosse papel sujo e jogou no lixo.

Tamanha crueldade não poderia estar presente em um ser humano feito de carne e osso, com sentimentos. Mas como está atitude rude e cruel fez Maria Eduarda se tornar fria e insensível ou se entregar de corpo e alma pra quem não lhe merecia.

Hoje, o Sr. Café observa em Duda um ar sereno, onde habita certa paz. Isso o deixa extremamente tranqüilo, e surpreso com sua amiga. Porque sempre soube que ela teria potencial pra superar seus monstros, mas a forma que ela o fez, alem de bela é de uma multidão de significados.

Como se hoje ela estivesse fazendo as pazes com todos, especialmente consigo mesma. Deixando o vento leva –La pra onde desejar. O certo silencio do Sr. Café presente neste bate papo se deve a emoção que ele está sentido, que não permite que ele verbalize sua satisfação e realização.

Graças a Dio !!

2 comentários:

EU TAMBÊM QUERO FALAR "UMAS"!!! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
EU TAMBÊM QUERO FALAR "UMAS"!!! disse...

Eu sou muito fâ dessa linda escritôra(também puderá,estou encantado com sua beleza)que personifica no seu alter-ego(Maria Eduarda)uma princesa encantadora.

PS:Espero que um dia(pelo presente dos deuses)venho a conhecer a linda Dudinha.

BEIJOS ESCRITÔRA LINDA.

ASS: CARLOS(seu admirador)