terça-feira, 22 de novembro de 2011


DUDA E SEU DEDO DE FADA



Maria Eduarda hoje ainda continua com seu dedo podre que recentemente foi nomeado por um mais novo amigo como dedo de fada, outrora ele a conhecera a distância e a casualidade fez com que eles se aproximassem.

E um dia num destes encontros que os amigos fazem para que a amizade seja cultivada, Duda obteve vários ganhos, neste dia ela estava aborrecida com o fracasso novamente de sua vida amorosa (o que ela sempre denominou como dedo podre), mas em um momento de desabafo acabou dizendo como ficava inconformada que os homens que passaram em sua vida sempre se tornavam pessoas melhores e a marcavam, na maioria das vezes de forma bizarra e ou negativa.

Então este amigo disse, o que o Sr.ª Café sempre diz: para que ela parasse de sofrer por quem não era digno de nem um centésimo de lagrima dela, e que então ela não tivesse o dedo podre, mas sim o dedo de fada.

Por magicamente, ou melhor, afetuosamente transformar pedras brutas em diamantes, e reconhecer estas pedras preciosas em um arsenal de outras beldades. Mas sabendo dar o devido valor ao que sempre teve este amigo sentiu como isso naquele momento perturbava Duda e até o Sr.ª Café que sempre fora tão racional e realista estava contaminado com tanta indignação e injustiça por Duda sempre se dedicar e zelar por seus afetos e nunca ter nem uma decima parte do que lhe fora merecido.

Voltando aos outros ganhos racionais que Duda obtivera naquele bate – papo informal, muitas das certezas que ela tinha sobre relacionamentos e afetos foram balançados e hoje estão sendo questionados e empiricamente testados.

Um destes ganhos fora a certeza que Duda estava apostando seu afeto em quem não desejava e que estava acomodado, tendo já feito sua escolha: servir aos seus familiares e não viver intensamente sua própria vida. O que já contradiz totalmente o desejo e pensamento de Maria Eduarda sobre o que quer e deseja.

Curiosamente parece que o ressurgimento deste gnomo do bem fez Maria Eduarda e até o Sr.ª Café reavaliarem sua forma de visualizarem e avaliarem os acontecimentos da vida de Duda. Parece que de tanto passionalmente o Sr.ª Café estar apoiando Maria Eduarda ele também perdera parte de sua lucidez, sua dedicação incondicional a sua amada heroína fez com que seus olhos ficassem vendados e lhe impedissem ver a realidade como ela verdadeiramente se apresenta e não apenas como Duda enxerga.

Hoje temos uma situação inusitada e magicamente curiosa, Duda vive um tormento ou não, mas parece que o mundo não lhe afeta, sim ela tem seus momentos de mortalidade, mas sua divindade reaparece como os semideuses gregos que vivem ora no Olimpo, ora na Terra.

Ousamos dizer que Duda nada mais é que uma belíssima fada que veio até nós mortais para trazer boas vibrações e vivenciar momentos únicos e memoráveis. Esta fada também têm suas necessidades e desejos que não são encobertos por sua origem fantástica e nem por sua capacidade magica de transformar a realidade.

Por conta de sua peculiaridade Duda deseja e espera conquistar suas metas e objetivos de vida por si traçados sem fazer uso de nada que faça com que suas conquistas não sejam honrosas e leais.

Vendo tudo isso ocorrer só posso dizer:  EU ACREDITO EM FADA !




Um comentário:

Spin Canções disse...

O salto quantico ficou evidente... É preciso estar conectado para continuar no fio